Buscar

Educação Corporativa: como manter e expandir os projetos

Ano após ano, a Educação Corporativa vêm mostrando seu valor através de diversas iniciativas em suas Universidades Corporativas. Vê-se ações presenciais, online e até mesmo híbridas (Blended Learning ou b-Learning).

Apesar disso, pesquisas anuais mostram que, ao mesmo que cresce o número de empresas investindo em Educação Corporativa, diminui o valor investido por colaborador a cada ano.

Para se ter uma ideia, a última pesquisa Panorama do Treinamento no Brasil, mostra que o valor médio anual investido em cada colaborador é de R$ 652,00 quando o assunto é Treinamento e Desenvolvimento, uma das "ferramentas" da Educação Corporativa.







Diante deste cenário, como manter os projetos de Educação Corporativa na empresa sem redução de investimentos, e que possam até mesmo ser expandidos?


Separei 5 sugestões de ações para você analisar e colocar em prática na empresa em que atua:

1. Desenvolver a consciência coletiva sobre a necessidade da Educação Corporativa

Pode parecer clichê, mas este ponto é essencial para manter e expandir qualquer tipo de projeto. Afinal, ninguém compra uma ideia se não estiver convencido(a) de que esta vale a pena.

Um dos princípios da Andragogia (educação de adultos) é a certificação da necessidade. Ou seja, enquanto os colaboradores não entenderem de fato a necessidade, as motivações e a importância dos projetos de Educação Corporativa na empresa, não se engajarão com as ações, sejam online ou presenciais, impactando diretamente na continuidade das mesmas.

No caso de grandes empresas, um primeiro passo sugerido é conscientizar as lideranças para que sejam multiplicadores.


2. Implementação de projetos com custo-benefício assertivo

Aqui, vamos falar de projetos que visam ações online (EAD).

Infelizmente, projetos mal sucedidos de Universidades Corporativas online é um cenário muito comum nas empresas, fazendo com que sua continuidade pareça um gasto e não um investimento.

Falar em projetos de Educação Corporativa, principalmente na modalidade a distância, é uma conversa longa, mas há um tópico bem importante que impacta diretamente na expansão das ações na área: alto investimento em um único projeto que atende somente uma dor da empresa.

Você precisa se perguntar:

Será que investir todo o orçamento da área em um game vale a pena?

Será que um projeto menos elaborado, mas efetivo, com o uso de e-books, videoaulas e atividades interativas mais simplistas não atenderiam os mesmos objetivos abrangendo outras áreas?

São reflexões importantes na hora de analisar a abrangência da solução versus custo de investimento.


3. Adaptação das ações presenciais para Blended Learning

O Blended Learning mescla as ações da Universidade Corporativa entre momentos online e presenciais, isso porque a redução de custos e de pessoal a longo prazo e em grande escala pode dizer muito sobre a continuidade dos projetos na empresa.

Na mesma pesquisa citada anteriormente, têm-se que 71% das empresas em 2019 ainda aplicam as ações de T&D presencialmente. A EAD já se mostrou como uma ótima forma de alcançar cada vez mais pessoas utilizando menos recursos: estrutura física, pessoas, deslocamento, equipamentos, materiais em geral e tempo de todos os envolvidos.

Por isso, é muito importante que as equipes passem a considerar a adaptação das ações presenciais para o formato híbrido. Dessa forma, haverá mais recursos (em todos os sentidos) para mais projetos de Educação Corporativa com impactos positivos não só sobre os colaboradores, mas sobre a saúde financeira da área.


4. Tecnologias e recursos educacionais de fácil atualização

Este é um ponto de atenção extremamente importante para todos os envolvidos nas ações da Universidade Corporativa, já que além dos benefícios para os colaboradores, também valoriza o tempo dos profissionais da área.

No caso de Universidades Corporativas online, uma das métricas a se analisar e que justifica a continuidade dos projetos da área é o engajamento.

Contar com tecnologias e recursos educacionais de fácil atualização significa deixar claro ao colaborador de que tudo ali é pensado e implementado visando seu sucesso — seja profissionalmente ou na vida pessoal, a depender do caráter das ações.

Não tem nada mais desanimador para um colaborador do que acessar conteúdos desatualizados, totalmente fora do contexto do mercado de trabalho e da realidade da empresa. Isso, além de contribuir para o desengajamento deste colaborador, alimenta conversas de corredor, o que infelizmente irá enfraquecer a força de qualquer projeto vindo da área.


5. Manter um plano de ações de curto e médio prazo conectadas entre si

Outro tópico que prejudica bastante a defesa interna da continuidade e a expansão de projetos de Educação Corporativa, é não só a falta de um planejamento de médio e longo prazo das ações, mas também desatualização destas por falta de acompanhamento.


Ações pontuais podem até trazer resultados, mas não se comparam aos ganhos de um planejamento conectado, onde cada ação encaminha o aprendizado para o próximo nível.

Projetos de Educação Corporativa com acompanhamento ativo de métricas, permitem ajustes, ideias e próximos passos mais efetivos para a equipe responsável. Desta forma, as ações estarão sempre à frente da necessidade de aprendizagem e desenvolvimento da empresa, comprovando e validando a importância dos projetos da área.

Bom, espero que um destes 5 pontos de atenção possam ser implementados em sua realidade, ou que te ajudem a adaptar o que for preciso para manter os projetos de Educação Corporativa a todo vapor.

Um abraço!



Mariana Lobo

Consultora de Projetos de Educação Online.

Experiência em planejamento e implementação de Universidade Corporativa online, assim como planejamento e gestão de produção de disciplinas para EAD de IES.

https://www.linkedin.com/in/marianaslobo/


Receba  informações sobre aulas e conteúdos por e-mail

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Pinterest Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn