Buscar

Inteligência emocional, você tem?

Você já perdeu a paciência com alguém por algum motivo bobo e quando parou para pensar viu que exagerou? Já deixou passar oportunidades na vida por estar se sentindo inseguro? Alguma vez já respondeu com ironia ou de forma que deixou a raiva dominar? Já pensou que agiu de tal forma porque não havia outra maneira? Comeu por estar ansioso? Reagiu de maneira ríspida ou com violência verbal ou física?


Todos nós já passamos por isso. Certamente, se nós nos conhecêssemos, poderíamos ter se saído melhor.




Inteligência emocional não é saber controlar suas emoções. Este é um equívoco que se cria ao pensar que é possível controlar sua emoção. Não, não é. Essa é uma incapacidade cerebral. Somos capazes de controlar nosso comportamento e estes irão fazer com que haja uma alteração emocional.


A inteligência emocional é você conseguir entender seus processos emocionais. Ter a capacidade de se perceber e compreender como elas ocorrem dentro de nós e nas outras pessoas. É preciso se auto avaliar e perceber suas características e seu perfil: o que lhe agrada ou não, o que te deixa mais paciente ou te faz perder a paciência, e outros aspectos de personalidade.


Você conhecendo e compreendendo as suas emoções diante de situações, você então consegue ter o discernimento de qual atitude ter e de qual a melhor ação para o momento.


Esse exercício de autoconhecimento traz diversos benefícios como: melhora nos relacionamentos pessoais e profissionais. Te faz ter uma comunicação mais eficiente. Te torna mais otimista, menos depressivo, com menos medos, menor timidez, te torna mais cooperativo. Isso não tem idade para começar. Pelo contrário, quanto mais cedo você conseguir investigar suas emoções, melhor será.


É possível desenvolver a inteligência emocional. Este é o ponto mais importante que você precisa aprimorar para ter sucesso. É ela que nos ajuda a evoluir como seres humanos a prosperar na vida. Existe treinamentos, livros e seu dia a dia que irá te ajudar a utilizar seu conhecimento sobre si.


Lembre-se que cada estado emocional carrega junto dele um conjunto de recursos emocionais que fazem com que você consiga realizar as coisas mais fácil. Se você conhecer suas emoções conseguirá mudar seu estado de espírito. Aceite suas emoções negativas. esteja atento ao seu interior. Avalie inclusive suas fragilidades e fraquezas. Lidando com as emoções você conseguirá se recuperar mais rapidamente das coisas que te perturbam.


Algumas maneiras para trabalhar melhor e refletir sobre a sua inteligência emocional:


  • Pensar em qual emoção você quer acessar e para qual a finalidade; você tem o controle da sua mente. Se você acessar o estado emocional de tristeza isso acontecerá primeiramente por movimentos mentais, logo vem a resposta corporal de se fechar, alterar a respiração, de pensar em não agir diante da situação, etc. Tudo isso cria um movimento que seu sistema já entende e reconhece. Pense que emoções negativas são boas para que você consiga evoluir. Se você alterar seu padrão de pensamento e sua postura corporal, te trará novos recursos emocionais. Você é capaz de alterar seu estado emocional. Seja confiante. Entenda o que te faz despertá-la. Execute ações como: mudar a música no rádio, respirar mais lentamente, pensar nas pessoas que você gosta e que estão te esperando, por exemplo.


  • Não se preocupe com o que os outros pensarão de você; ouça a sua voz interna. Tem pessoas que dão bons conselhos, mas tem os que podem querer te colocar para baixo.


  • Não se compare com os que vivem ao seu redor; as pessoas são diferentes, tiveram oportunidades diferentes, passam por situações diferentes e tem sua vida diferente. Observe o quanto você evoluiu. Pense nas coisas que te trouxeram sucesso. Compare seu passado com os dias de hoje.


  • Ressignificar as coisas que aconteceram; mude sua visão sobre os fatos que já passaram. Quem sabe se algo não tivesse acontecido no passado, você não teria chegado onde chegou, não seria quem você é. Veja as coisas do lado positivo.


  • Resiliência. Se você está vivendo sob pressão, não desista. Faça atividades física, isso ativa sua resiliência.


  • Termine tudo o que você começar. Não viva por impulso. Vá até o fim para resolver suas questões.


  • Busque o equilíbrio. Determine uma meta, um foco e motive-se. Nossas emoções nos atrapalham ou diminuem nossa capacidade de pensar. Elas definem o limite de nosso poder de usar nossas capacidades mentais inatas. Faça planos que te entusiasme e gerem prazer.


  • Tenha empatia. Reconheça as emoções nos outros. Trate o outro com gostaria de ser tratado. Olhe a perspectiva do outro. Mais compaixão. Escute o outro.


Tente aplicar e executar essas dicas. Vai exigir esforço, muita reflexão, disciplina, mas conforme você for aplicando essas mudanças nas suas situações negativas, seu cérebro vai sair daquele ciclo automático e vai gerar o pensamento positivo.


Importante: No mercado de trabalho os recrutadores tem avaliado a inteligência emocional. Não é somente o lado cognitivo e competente que é importante, mas também a questão de como essa pessoa se relaciona com outras, se tem autocontrole, se consegue trabalhar sob pressão, etc.


Existem níveis de inteligência emocional diferentes e perfis distintos e isso não quer dizer que há perfis melhores ou piores, pelo contrário, todos se complementam dentro de uma empresa. A ideia dos recrutadores é conhecer o candidato para adequá-lo ao cargo e setor condizente com seu perfil.



Anelize Albuquerque

Pedagoga, pós graduada em Psicopedagogia.

Especialização em Educação Infantil e Alfabetização.


https://www.linkedin.com/in/anelize-albuquerque-324833176


149 visualizações

Receba  informações sobre aulas e conteúdos por e-mail

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Pinterest Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn