Pedagogia em extinção e as 8 habilidades essenciais na era eTeacher.

June 10, 2018

  

Há pouco tempo participei de um encontro profissional gerido por profissionais de TI que debatiam questões acerca da produção de cursos virtuais. Era o clássico ambiente “fábrica de cursos” comuns em empresas que participam de processos  licitatórios, que geralmente requerem transposição de cursos da modalidade presencial para modalidade Ead.

 Imagem Freepik

 

 

Nesse encontro diversas questões foram debatidas: quais ferramentas seriam utilizadas; que tipo de mídia seria apresentada; de que forma o desenho instrucional seria elaborado; qual a linguagem de programação adequada; quando seriam definidos os layouts e, finalmente,  quais profissionais fariam parte da equipe de produção… quais profissionais… equipe… produção.

 

Pasmem, não havia vagas para pedagogos ou educadores no projeto, essas vagas foram deliberadamente substituídas pelas vagas de designers e programadores. Não que essas funções não tenham absurda importância no processo de produção de cursos, no entanto, esperar que o designer sem formação em educação, possa compreender e aplicar teorias de aprendizagem, aí é um pouco demais.

 

Porém, por mais absurda que pareça, essa é uma realidade cada vez mais comum na educação virtual, os métodos e as formas de apresentação de aulas, estão cada vez mais diversos. São tutoriais, webaulas, webinar, conferências, transmissões ao vivo, e-books gratuitos, animações, microlearnings e muito mais.

 

Hoje a internet apresenta um vasto mercado para produção de e-learning, através de plataformas totalmente programadas que padronizam a criação dos cursos, e se torna possível dispensar aquele conhecimento técnico do pedagogo. Confesso que em muitas dessa plataformas o trabalho é extremamente bem feito, como é caso da Udemy, que exige durante a criação do curso muitos dos requisitos de um projeto educacional pedagógico, no entanto se apresenta mais leve, simples e prático tornando toda a formatação do projeto acessível, fácil e eficiente à qualquer um que nunca tenha projetado educacionalmente.

 

E o que dizer nos dias de hoje sobre o papel do pedagogo, no mundo onde qualquer um que compartilhe conhecimento torna-se professor e a didática é o design?

 

São as novas formas de educação e formação, cheias de design, novos termos, novas formas de apresentação e o mais importante de tudo: um novo tipo de aluno, que estuda por meio de tutoriais rápidos, pesquisam diversas fontes de aprendizagem, se comunicam de forma absurdamente ágil, e querem pra ontem o que já podem ter hoje, o saber rápido e seguro.

 

O pedagogo do futuro é educador do agora, e precisa entender de todas essas questões midiáticas, virtuais, programáveis, visuais e tantas outras da geração web. Deve seguir a corrente dos novos alunos, se tornar ágil e prático, adequar a didática de forma visual, aceitar e entender a importância do visual. Agora, competem no mercado com vagas originalmente pertencentes à profissionais de marketing digital, designers, desenhistas instrucionais e não menos, uma gama de novos educadores da web, formados ou não, estão cada vez mais à frente da nova educação.

 

O mercado mudou, e a pedagogia clássica está à beira da extinção, no entanto, apesar de todo o contexto da virtualidade algo jamais mudará, o ideal de educar !

 

De acordo com a Lucie Renard da BookWidgets, o professor do futuro, ou como ela o denomina o ETeacher  deve possuir no mínimo 8 habilidades:

 

1. eTeacher

O futuro da educação envolverá tecnologia. E não será apenas um pouco. A tecnologia assumirá a sua sala de aula. Como professor, você deve estar preparado.

Não faz sentido ignorá-lo. Você vai ficar atrasado ainda mais. Seja um eTeacher, um palhaço inovador, um viciado em tecnologia.

Seja aberto para usar, por exemplo, redes sociais como Facebook, Instagram e Snapchat. Apenas na sua sala de aula, para fins educacionais, é claro. Dê uma olhada nesta publicação sobre as mídias sociais na sala de aula para obter mais dicas. Quanto mais você sabe sobre isso, mais seguro é para os alunos. Hoje, os alunos estão sempre um passo à frente quando se trata de mídia social e tecnologia. E eles também não conseguiram se mudar se algo der errado.

 

2. Sem papel

À medida que a tecnologia assume a sua sala de aula, também está se livrando dos papéis. A sala de aula sem papel se tornará a nova sala de aula tradicional.

Em vez de manter sua administração em algum lugar entre milhares de documentos em sua mesa, guarde-os com segurança em seu computador. Em vez de desperdiçar pelo menos 100 cópias em papel por dia, forneça a atribuição por computador ou tablet.

Os sistemas de gerenciamento de aprendizagem já usam "sem papel" para se descreverem. Agora é sua vez. O que você escolhe para sua sala de aula sem papel?

 

3. Edamech camaleão

Os aplicativos e ferramentas de tecnologia da educação podem ajudá-lo a ficar sem papel. Como eu disse, aprender sistemas de gerenciamento já oferece tudo para ficar sem papel, como livros em linha, fóruns de discussão e uma agenda digital.

Substitua suas planilhas de papel por planilhas digitais em um tablet ou computador. Existem milhares de diferentes aplicativos educacionais que podem fazer uma aula divertida e interativa. Assim como BookWidgets .

Mas fique atento. Os aplicativos e ferramentas não são o objetivo. Eles são apenas um auxílio para alcançar um objetivo de aprendizagem. Você precisa ajustar, pesquisar e analisar muitos aplicativos para encontrar os corretos para o seu ensino e objetivo. Ser capaz de se adaptar aos aplicativos, ferramentas e inovações da edtech, sendo um camaleão edtech faz você o professor do futuro.

 

4. Formativo

Gosto de pensar que o futuro professor se livrará do sistema de notas e se concentrará mais nas avaliações formativas e na cultura de feedback real. E isso já está acontecendo. Mas, como eu disse, a evolução na educação está no topo de uma tartaruga.

O futuro professor não irá mais valorizar benchmarks e notas. O valor real do aluno é o seu progresso. Não importa de onde ele começou. Crescer é a realização real.

O futuro é o tempo de feedback. Não apenas as linhas "Você mesmo estudou?" Ou "você pode fazer melhor" . Estou falando sobre o feedback real .

 

5. Estudante

Quando se trata de tecnologia, os professores são rapidamente desatualizados (como todos). É por isso que o professor do futuro deveria ser mais um estudante também. Lide com isso! Saiba como lidar com a tecnologia. Aprender a fazer um documento com o Word ou a usar o PowerPoint não é suficiente. Isso é o que a maioria dos professores conhece agora, no entanto, essa não é a tecnologia de hoje.

Para professores tradicionais, é importante primeiro aprender os conceitos básicos de tecnologia. Como funciona a maioria dos aplicativos? O que eu faço com esse link? Como posso obter algo para meus alunos? Como posso exibir minha tela na parede? Uma vez que você conhece o básico, é mais fácil entender recursos, aplicativos e ferramentas mais avançados.

Esteja ansioso para aprender sozinho. O YouTube é a maior coleção de tutoriais do mundo. Se você não sabe como algo funciona, basta procurar a resposta no YouTube. Alguém provavelmente fez um tutorial do aplicativo. Se você não tem inspiração e idéias e não sabe o que a tecnologia tem para oferecer, dê uma olhada na nossa Escola EdTech do YouTube Channel .

 

6. Suspeita

Ser um eTeacher não significa que você deve abraçar todas as ferramentas ou aplicativos do edtech no seu caminho. É bom suspeitar de vez em quando. Nem todos os aplicativos funcionam da maneira que diz.

Aplicativos, mídias sociais, internet também vem com todas as suas desvantagens. O professor do futuro (e, claro, o professor de hoje) tem que saber como lidar com uma ameaça como o ciberbullying .

Outro problema que os professores já estão enfrentando agora é a próxima novidade falsa. Ao navegar pela web, procurando informações para ensinar, às vezes é difícil distinguir notícias reais de notícias falsas. É por isso que você precisa desconfiar e verificar a fonte e os comentários para se certificar de que está ensinando a lição correta.

 

7. Colaborativo

Seja como Pinterest e Instagram. Sim, estou a falar a sério. Pinterest e Instagram são os salões de professores maiores e mais positivos do mundo. Eles são preenchidos com professores positivos que gostam de colaborar e compartilhar suas idéias.

Então, por que ainda é tão silencioso no verdadeiro salão do professor? Você sabe como seus colegas ensinam, quais materiais eles usam e como eles interagem com seus alunos?

A tecnologia facilita a colaboração com seus colegas. Baixe a carga de trabalho ao trabalhar em conjunto. Só é mais fácil aumentar o crescimento dos sistemas de gerenciamento de aprendizagem e outras ferramentas editais que envolvem a colaboração.

 

8. Interativo

Quando quero dizer que o professor do futuro precisa passar sem papel, não quero dizer um arquivo PDF em um tablet. Quando você tem tablets e computadores, você pode tornar a aprendizagem mais divertida e atraente. Existem aplicativos suficientes para manter seus alunos motivados.

A capacidade de atenção média de uma pessoa encolheu de 12 segundos em 2000 para 8 segundos em 2013. Esse é um segundo menos do que o de um peixinho dourado! Para responder a esse fenômeno, lições interativas podem ajudar a manter a atenção do seu aluno um pouco mais.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

A Transição da Educação e a Reinvenção da Prática em Sala de Aula

February 12, 2019

1/4
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procurar por tags