10 desafios do Design Instrucional

September 13, 2019

O Design Instrucional, ou DI, é “o processo sistemático e reflexivo de traduzir princípios de cognição e aprendizagem para o planejamento de materiais didáticos, atividades, fontes de informação e processos de avaliação” (Smith e Ragan, 1999).

 

Vemos que, de acordo com os autores, o conceito de Design Instrucional é bastante abrangente, passando pela Didática, Psicologia, avaliação educacional, processos de ensino e aprendizagem, planejamento de curso e planejamento de aulas, objetos educacionais.

 

 

 

Percebe-se então, que a função do Design Instrucional vai muito além do processo de elaboração do projeto de um curso ou seu desenho. Sua origem, na II Guerra Mundial, tinha como objetivo desenvolver treinamentos com fins militares e, para esse fim, um grupo de psicólogos foi chamado por militares nos EUA.

 

Analisando-se o termo Instrucional, notamos que ele nos remete a Skinner, psicólogo behaviorista norte americano, que afirmava que a educação deveria ser planejada passo a passo, modelando o aluno e desta maneira obtendo os resultados desejados, deixando-se de lado as diferenças individuais e o respeito ao processo de desenvolvimento e aprendizagem, inerentes a cada aluno. 

 

Já, quando pensamos no conceito de Educação, encontramos vários pesquisadores e estudiosos, dentre eles Libâneo (2002, p.26)  que a define como “[...] fenômeno plurifacetado, ocorrendo em muitos lugares, institucionalizado ou não, sob várias modalidades”.

 

Pensando-se: na definição de Libâneo, na relação direta do sujeito com o objeto de aprendizagem (o aluno age sobre o objeto de aprendizagem e não o contrário, como ocorria no modelo tradicional de ensino) e já que a educação ocorre em vários lugares e maneiras (mundo globalizado), quais os desafios do designer instrucional na atualidade? 

 

Saímos de um modelo engessado de ensino, onde não é mais cabível uma educação bancária (o professor é o depositante de conteúdos sem significado e o aluno apenas o depositário).

 

Seguem então, alguns desafios para o trabalho do design instrucional:

 

1) Já que vivemos num mundo globalizado e a quantidade de informações, sobre qualquer assunto, é extremamente extensa, como organizar os conteúdos requeridos, de maneira que atendam às necessidades e objetivos?

 

2) Como apresentar e desenvolver metodologicamente esses conteúdos para os alunos?

 

3) Outro desafio é a adequação do tempo para cada atividade. Qual o tempo ideal, para que a atividade não se torne cansativa e deixe de cumprir seus objetivos?

 

4) Como trabalhar teoria x prática, nos cursos/treinamentos?  Como transformar o processo de ensino aprendizagem, numa aprendizagem significativa?

 

5) Como avaliar, para saber se os objetivos foram atingidos pelos alunos?  Quais estratégias de avaliação escolher?

 

6) Manter a atenção e interesse do aluno, também é uma tarefa desafiadora.

 

7) E os alunos que possuem dificuldades de aprendizagem? Como intervir e interagir com eles?

 

8) A atividade de design instrucional requer um profissional multidisciplinar.

 

9) Como saber se você criou, através do projeto de design instrucional, a melhor solução para a necessidade que lhe foi apresentada?

 

10) Como adequar o projeto instrucional, à realidade de quem o solicitou (recursos humanos, financeiros e técnicos, disponíveis), sem que a proposta perca sua consistência pedagógica?

 

Como podemos observar, o trabalho do Design Instrucional é muito complexo, muito importante e muito prazeroso. Educação é transformação.

 

Termino citando a expoente educadora e especialista na área,  Andrea Filatro, que faz uma definição precisa sobre as atividades que envolvem o trabalho do Design Instrucional nos dias de hoje:

 

 [..] além de planejar, preparar, projetar, produzir e publicar textos, imagens, gráficos, sons e movimentos, simulações, atividades e tarefas relacionadas a uma área de estudos, maior personalização de estilos e ritmos individuais de aprendizagem, adaptação às características institucionais e regionais, atualizações a partir de feedback constante, acesso a informações e experiência externa e o monitoramento da construção individual e coletiva de conhecimento (FILATRO, 2007, p.33).

 

Agora que vimos os dez desafios do design instrucional, no próximo artigo será abordado sobre como enfrentar alguns desses desafios, em especial a avaliação.   

 

Aguardo vocês!

 

 

 

 

 

 

Profa. Ms. Márcia Moreira de Carvalho

Atuando como Consultora Educacional e professora convidada em cursos de pós-graduação Pedagoga e Mestre em Educação, pela Faculdade de Educação da USP

https://www.linkedin.com/in/márcia-moreira-de-carvalho-54003a164

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

A Transição da Educação e a Reinvenção da Prática em Sala de Aula

February 12, 2019

1/4
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procurar por tags