O  F  I  C  I  N  A     V  I  R  T  U  A  L

Tutoria Ead

O ensino a distância vem ganhando muita força no mercado educacional, com características que vão desde a flexibilidade até a interatividade, cada dia mais os alunos estão optando por esse tipo de ensino. Mas diferente do que muitos pensam, o ensino a distância, não é feito somente por acesso à conteúdos escritos e vídeos, este tipo de ensino vai muito além. E para isso, são necessárias pessoas.

APRESENTAÇÃO 

Olá! Seja bem-vindo à Oficina Virtual de Tutoria Ead.

CLIQUE NOS MATERIAIS PARA BAIXAR 

O processo educacional feito a distância pode e deve ser humanizado, para que o aluno se sinta acolhido e motivado a continuar seus estudos. 

E é aí que entra o papel do Tutor, pois além de ensinar o conteúdo, este profissional tem um papel fundamental dentro do processo, ele é o maestro da turma. É ele quem irá reger toda a cadência do curso e que deve manter os alunos motivados em continuar o aprendizado.

Pensando nisso, criamos esta Oficina para te ajudar a conhecer um pouco melhor do trabalho deste profissional que está em crescente ascensão no mercado. 

Aqui destacamos algumas estratégias valiosas que irão auxiliar o tutor nas tarefas do seu dia a dia.

capa m4.png

e-book

Tutor X Mediador.jpg

Tabela

Info_-_História_do_Ead.png

Infográfico

 

Ao final desta oficina você estará pronto para:

  • Compreender o perfil do aluno EaD;

  • Entender o papel do tutor como mediador do processo de ensino -aprendizagem,

  • Conhecer as principais competências do tutor;

  • Diferenciar e explorar os conceitos de tutoria e mediação;

  • Propor estratégias para diminuir a evasão dos alunos num curso;

  • Aplicar técnicas de tutoria EaD na prática.

icon_edited.png
icon_edited.png

MÓDULO I

Perfil do Aluno no Ead

 

Você já parou para pensar, qual é o perfil do aluno que estuda a distância? 

Eles são independentes, automotivados, autodirigidos, trabalham a cooperação e buscam ser disciplinados na organização de seus estudos em um ambiente geralmente informal. 

Mas como manter o aluno motivado, e dar estímulos para a continuidade e conclusão de num curso? 

1. Perfil do aluno EAD: Como trabalhar a motivação e estímulos do aluno

Na modalidade EaD o aluno é agente do seu próprio aprendizado, utiliza materiais dinâmicos, o AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) e interações. Diante de tantos recursos, conheça algumas estratégias para engajar seus alunos:

2. Educação de Adultos: Diferenças entre a Pedagogia, Andragogia e Heutagogia

Imagine uma situação de alfabetizar uma criança e um adulto. Como professor você teria que aplicar metodologias diferentes de aprendizagem para o mesmo assunto ler e escrever. 

Pois é, um erro muito comum é treinar ou desenvolver alunos adultos com a mesma metodologia que se utiliza em crianças, pois os adultos em sua essência são autorresponsáveis pelo seu processo de aprendizagem,  maduros, experientes e críticos, exigem uma participação mais ativa que o leve a pensar em resoluções práticas de problemas.

Com isso é necessário diferenciar as formas de aprendizado para os adultos, como faremos a seguir. 

A Pedagogia é a forma mais tradicional de aprendizado, a figura do professor a frente transmitindo conhecimento ao aluno. Tem como definição literal a arte e a ciência de ensinar e educar crianças.

  

Já a Andragogia é ajudar o adulto a aprender, havendo desta forma a troca de informações entre alunos e professor, neste compartilhamento o professor não é mais o detentor do conhecimento. 

Uma definição nova é a Heutagogia onde o aluno quem determina como, quando e o que deve ser aprendido, numa realidade apresentada pelas novas tecnologias, ampliando a característica deste aluno como autodirigido e automotivado.  

Na imagem ao lado conseguimos visualizar o papel do professor e do aluno nestes conceitos. O Tutor dentro desta perspectiva se vê desafiado a ser o facilitador deste processo criando pontes. 

1. Crie um ambiente acolhedor: Utilize palavras positivas, transmita segura, demonstre apoio em ajudar, isso também é empatia. A depender da ferramenta, use emoji na comunicação digital, isso traz leveza, cor, diversão e transmite mensagens e emoções melhor que palavras.  

2. Seja automotivado: Gosta do que faz? Sim! Então compartilhe entusiasmo e energia vibrante aos seus alunos, é possível perceber essa disposição em suas palavras, por isso fique ligado!

3. Ofereça diversas atividades: Individual ou em grupo, no fórum elabore discussões com temas atuais, material complementar relevantes, vídeos no formato de animação, proponha trabalhos colaborativos, enfim, tenha um real interesse em vê-los aprender aquele conteúdo de formas diferentes.

icon_edited.png
icon_edited.png

MÓDULO II

Papel do Tutor

 

3. O papel do tutor

Mas afinal, o que é ser tutor? 

 

A principal função desse profissional em ascensão na atualidade é a de integrar os alunos à proposta educacional de um curso, é mediar o processo de aprendizagem, num acompanhamento bem de perto, que incentive, tire dúvidas e indique novas perspectivas ao aluno, a partir de tudo que ele está aprendendo.

3.1 Tipo de tutoria e ferramentas de comunicação

Você sabia que existem vários tipos de tutoria? É isso mesmo, e você sabe quais as diferenças entre elas? Veja a seguir:

  • Semipresencial: a tutoria é realizada a distância, e os atendimentos presenciais também podem ser realizados, normalmente no polo de apoio do curso, de acordo com a necessidade do aluno. Os meios de contato com o aluno são variados, inclusive orientações por telefone, se necessário;

  • Bimodal: a tutoria é realizada a distância, mas encontros presenciais também são obrigatórios, sejam eles mensais, bimestrais e outros, de acordo com a programação do curso;

  • Virtual: a tutoria é realizada virtualmente, e toda a comunicação com o aluno é mediada de forma tecnológica. Eventualmente o contato telefônico pode ocorrer, mas não é previsto nesse tipo de tutoria.

 

3.2 Importância do conhecimento do conteúdo

Como você sabe, existem cursos de todas as áreas disponíveis na modalidade EaD. E você pode estar se perguntando: então é preciso dominar todas elas para ser tutor? 

A resposta é que o tutor precisa ter um ter conhecimento prévio dos assuntos que serão abordados no curso que irá tutorear, para poder orientar os alunos da melhor forma possível e poder sanar possíveis dúvidas que possam surgir.

 

3.3 Cronograma, prazos e tempo de retorno

Esta é uma parte importante de todo curso EaD: o cronograma!

Toda a sequência de atividades propostas deve ser planejada e definida com antecedência para que o aluno tenha ciência delas desde o início.

O prazo de retorno das atividades e comunicação com o tutor também deve ser informado desde o início do curso. Assim, o aluno saberá até quando será respondido e quando sua atividade será corrigida.
 

3.4 Tutoria e avaliação do curso

O tutor, sendo a pessoa “da ponta” em contato com o aluno, também tem um papel importante de acompanhar o curso e identificar possíveis ajustes na estrutura do curso original junto à coordenação do curso.

Como dissemos no início desta Oficina, o Tutor é o maestro da aprendizagem e ele deve estar sempre atento aos alunos, então sempre que possível, interaja, instigue, provoque e incentive os alunos. No próximo módulo falaremos sobre as diferenças entre Tutoria e Mediação. Vamos lá?

icon_edited.png
icon_edited.png

MÓDULO III

Tutoria X Mediação

 

4. Diferenças entre mediação e tutoria

Talvez você já deva ter se deparado com os seguintes anúncios de vagas:  “vaga para tutor em EAD” e “vaga para Mediador EAD”. De fato, existe semelhança entre os dois, pois suas rotinas são voltadas para apoiar o aluno EAD durante o processo de ensino aprendizagem.

Mas se estes dois personagens são tão semelhantes que podem até lhe confundir, que critérios podemos utilizar para não errar quando formos diferenciar cada um?

TABELA M4.png

Podemos dizer que o os dois tem um perfil muito parecido, porém, é de fundamental importância para um tutor em EaD ser dinâmico, ter familiaridade com as novas tecnologias e ser um motivador para os alunos. Para tanto é necessária uma preparação e adaptação a este processo.

Já o mediador é  aquele que ajuda o aluno a construir um pensamento coeso e a chegar em conclusões e direciona a referência bibliográfica correta. É sempre alguém que possui duas características essenciais: domínio do conteúdo técnico científico e habilidade para estimular a busca de resposta pelo aluno.

5. Papel do tutor na construção do conhecimento

Você acredita que: “Quem é um bom professor será também um bom tutor”? Não necessariamente, pois  tudo dependerá da condução dada ao ensino. De modo geral um bom tutor cria propostas de atividades para a reflexão, apoia sua resolução, sugere fontes de informação alternativas, oferece explicações, facilita os processos de compreensão; isto é, guia, orienta, apoia, e nisso consiste o seu ensino.

Para desenvolver de forma consciente e efetiva uma boa aprendizagem ao aluno EaD, o bom tutor precisa possuir 10  competências fundamentais. Vamos conhecê-las?

  1. Agir como facilitador.

  2. Criar uma atmosfera cordial.

  3. Estimular a cooperação entre os estudantes.

  4. Incentivar a autoconfiança no aluno.

  5. Fornecer feedbacks instantâneos.

  6. Desenvolver o pensamento crítico do aluno.

  7. Planejar como será a intervenção e controlar o resultado.

  8. Atenção para intervir no momento oportuno.

  9. Respeitar  formas de aprendizagem e talentos diversos.

  10. Estudar constantemente para fornecer novos caminhos aos alunos.

E você futuro tutor, sabe qual o seu papel no combate à evasão? Você terá importante papel pela frente. Tentar minimizar ao máximo esses índices quando estiver no comando de algum curso. Mas isso se tornará menos complexo se você adotar algumas  estratégias. Aqui, citaremos três boas estratégias.

 

1. Crie vínculos: Você terá o contato direto com os alunos e criar um relacionamento afetivo com a turma nos momentos iniciais, ajudará os alunos a se sentirem mais próximos do tutor e mais abertos a diálogos, repercutindo de forma positiva o seu desempenho.

2. Diversifique as metodologias: Evite aplicar os mesmos métodos utilizados em uma sala de aula presencial, como aulas no mesmo formato e duração, prazos muito rígidos de avaliações, ensino focado muito no professor e outras práticas do ensino tradicional. 

3. Desenvolva habilidades e atitudes: O ideal é que o aluno EAD seja autônomo, disciplinado e disposto a buscar respostas de forma autônoma.  Porém isso não é algo comum nos alunos. Portanto ajude a desenvolver tais atitudes e habilidades desses alunos estudando melhor os processos de aprendizagem, mecanismos de motivação. 

Material complementar:

Indicação de vídeo complementar: O papel do Tutor EAD

icon_edited.png
icon_edited.png

MÓDULO IV

Práticas de Tutoria

 

6. Engajamento do aluno e a aprendizagem significativa

Nesse momento vamos analisar algumas práticas de tutoria fundamentais para aumentar o engajamento e aprendizagem significativa do aluno a partir de estratégias como o feedback individual e coletivo.

7. Estratégias de interação: como dar Feedback, o feedback individual/coletivo

Já ouviu falar que dar feedback é questão de treino? Na tutoria isso também acontece, essa prática está ligada a comunicação assertiva e de certa forma os alunos esperam que o tutor os auxilie na construção do conhecimento para que consigam atingir os objetivos da aprendizagem.

 

8. Feedback individual

O feedback individual pode acontecer diversas vezes num curso EAD, como por exemplo após atividades obrigatórias ou não, em provas e durante os fóruns de discussão. Assim, para que seja construtivo o tutor deve pensar em como gerar um pensamento crítico no aluno para que desenvolva essa habilidade por meio de orientações claras. 

 

9. Feedback coletivo

Dar um feedback coletivo pode ser uma estratégia interessante para melhorar a comunicação entre os alunos. É simples! Num fórum por exemplo, tente ler as diversas mensagens e resumir num pequeno texto o que os alunos falaram, a partir de questionamentos relacionados ao tema. 

Tutoria e mediaçãoEntrevista com o tutor
00:00 / 07:58

Escute a entrevista realizada com Gabriela Torezani sobre os processos e atividades realizadas por um tutor virtual!

E agora, que tal mais uma atividade prática antes de encerrarmos nossa Oficina? 

O objetivo dessa atividade é colocar em prática o que você aprendeu, ou seja, a partir da comunicação assíncrona revisar os conteúdos estudados de forma colaborativa. Vamos lá!

 

Compartilhe com os colegas os insights que surgiram durante a Oficina por meio de uma mensagem e inclua seu feedback sobre o curso.

7. Fórum de encerramento

 

Chegamos ao final, agora você está pronto para:

  • Identificar o perfil do aluno EaD;

  • Entender o papel do tutor como mediador do processo de ensino -aprendizagem,

  • Conhecer as principais competências do tutor;

  • Diferenciar e explorar os conceitos de tutoria e mediação;

  • Propor estratégias para diminuir a evasão dos alunos num curso;

  • Aplicar técnicas de tutoria EaD na prática.

Autoria:

Cristiane Silveira

Coordenadora de Design Educacional

https://www.linkedin.com/in/cristiane-cesar-oliveira/

Poliana Neves

Design Instrucional

https://www.linkedin.com/in/poliananeves/

Carla Martins

Coordenadora Pedagógica

https://www.linkedin.com/in/carlabmartins/

Receba  informações sobre aulas e conteúdos por e-mail

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Pinterest Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn