top of page

Onde trabalhar como Designer Instrucional ou Learning Designer?

Antes de mais nada vamos entender a diferença principal entre design instrucional e learning design!


De fato as ações realizadas em ambas as atividades são praticamente as mesmas, no entanto, com o avanço das oportunidades de trabalho remoto, principalmente no exterior, algumas terminologias precisam ganhar atenção dos profissionais e o learning design ou learning develompment são termos comuns usados nos recrutamentos fora do Brasil. Portanto, se você pretende abraçar oportunidades maiores, comece a buscar por esses termos.



Dito isso, vamos descobrir pelo menos 4 oportunidades para trabalhar como design instrucional!



O Design Instrucional ou o Learning Design possui muita variedade de ações de trabalho para a atuação profissional.


Trata-se de uma atividade que com muitas etapas de construção e em cada uma delas é possível atuar de forma especializada. O ideal no momento de definir a área em que se pretende atuar, é conhecer bem suas atividades e perceber quais as competências exigidas.


Foi-se o tempo em que as formações de Design Instrucional eram gerais e nada segmentadas, inclusive, procure fugir de instituições que não investem na oferta especializada dos profissionais da área, isso significa que provavelmente estão obsoletos!

Mas a maior dúvida entre os profissionais que atuam, tanto nas Universidades Corporativas quanto nas Instituições Acadêmicas, é saber quais são as oportunidades de trabalho existentes, para que possam investir em um plano de carreira ou identificar potenciais oportunidades.


Sendo assim, vamos falar sobre 4 principais áreas em que o Design Instrucional apresenta demandas crescentes no mercado profissional.


1. Planejamento Estratégico de Design Instrucional



Não só focado na criação de projeto de ensino, ementas e definição de desenho de cursos e treinamentos, o DI estratégico também se preocupa com a oferta de ensino editável e otimizada.


Imagine só, atuar em uma Instituição que possui um modelo de negócio estilo "fábrica de cursos", neste caso específico o profissional de Design Instrucional deve ir além do foco no aluno e planejar ofertas de ensino que propciem o desenvolvimento dos catálogos do negócio, ou seja, os cursos criados devem ser pensados, também, sob aspectos de edição, reedição, repositórios e outras questões que otimizem tempo e custo de produção ao passo que ampliam a oferta de formações.


Para além disso, esse segmento do Design Instrucional se apoia na análise da personalização de ensino e da adequação de bugtes de forma mais estratégica.


Mas como premissa fundamental, é neste segmento da área, que os Designers Instrucionais ou Learning Designers desenham efetivamente os treinamentos, pautados em análises de contexto, definição de ementas, recursos e mídias, bem como outras estratégias de engajamento e retenção de aprendizagem.


Geralmente o profissional que atua nesta área tem forte capacitação na área educacional, sabe criar planos de ensino, gerenciar aulas e definir competências e objetivos de aprendizagem, no entanto, a exigência na literacidade tecnológica é fundamental, assim como conhecimento sobre processos de produção.



2. Adaptação Instrucional de Conteúdos Escritos


Se tem uma coisa que deixa todas as produtoras de conteúdos intrucionais de cabelos em pé, é solucionar problemas da gestão da produção escrita.


Todos os profissionais de Design instrucional, sabem bem que os conteúdos escritos são as bases fundamentais da criação de mídias para cursos e treinamentos, e a dificuldade em encontrar conteudistas que saibam escrever a partir de técnicas dialógicas, com uso de estratégias copys e UX, é enorme!


Ainda que produtoras e insituições apliquem treinamentos para o desenvolvimento da escrita, é necessário um profissional de design instrucional que saiba gerenciar essas produções, homolgar as necessidades de ajustes e principalmente, adequar padrões de linguagem e escrita para cada empresa.


E o Designer Instrucional, que tem competência em textos, leituras, linguagens, revisões, etc... sai na frente nesta função.


Imagine só uma empresa que faz a oferta comercial de diversos cursos automatizados. A quantidade de conteudistas para atender as demandas de produção é sempre grande, e cada um deles, possui um perfil de escrita e didática para apresentação de textos informativos de ensino, sendo assim, para garantir unicidade na produção, um Designer Instrucional que entenda de Gestão de Conteúdos Escritos e Adaptação Instrucional, auxilia na definição de padrões, treinamento de autores, verificação e ajuste da produção escrita.


Muito mais que um revisor, o adaptador instrucional, foca na didática, dialogicidade e melhores formatos de apresentação de ensino a partir dos recursos de texto.

Portanto se você é um desses profissionais que se dá bem com textos, vale dar uma olhada nas formações existentes para essa área. O Mercado Ead oferece cursos expecializados para essa área de atuação, no entanto, costumam abrir somente algumas turmas por ano, que esgotam vagas.



3. Produção Técnica de recursos e mídias Educacionais


Videoaulas, podcasts, telas inetrativas, animações, games, eBooks, Infográficos e diversos outros conteúdos de mídia são criados para atender as demandas da educação digital. Sem dúvida um dos mercados que mais cresce ao passo do desenvolvimento tecnológico!


Saber criar roteiros e storyboards para produção e pós prordução de mídia abre muitas oportunidades para elearning developers. Mas aqui, o Designer Instrucional que possui conhecimento técnico, fica em posição de destaque, pois faz uso de ferramentas de criação e realiza uma análise educacional que favoreça o ensino.



Este mercado de atuação é um dos maiores na área, tanto na oferta quanto na procura! Sendo assim, destacam-se aqueles profissionais que pensam em produções efetivas, criativas à custos acessíveis.... e dá-lhe criatividade para isso hein!


Para atuar neste segmento, ter habilidades computacionais bem desenvolvidas, em muitos casos, em edições e uso Pró de sistemas e ferramentas de edição, será mais do que necessário. Conhecer as técnicas de produção e processos de gerenciamento de mídias educacionais vai colocar os profissionais dentro do design de conteúdos.


Capacitação em Insituições Especializadas é o melhor caminho para entender este mercado e aproveitar as competências na hora de mostrar trabalho, criar portfólio e agir. Mais uma vez, o Mercado Ead segue na frente como a única Insituição do país com cursos nível Pró, segmentados para produção e planejamento de DI.


Você também consegue encontrar cursos e vídeos que auxiliam nessas atividades, também com foco em educação. Um ótimo blog para pesquisas sobre informações na área é o eLearning Insdutry, um conceituado portal na área.



4. Gestão de Projetos de Produção de Design Instrucional



Projetos completos de Design Instrucional costumam envolver equipes multidisciplinares responsáveis por atuar em etapas distintas de produção. Sendo assim, para gerenciar pessoas e definir as melhores metodologias de desenvolvimento da atividade, é necessário um profissional de DI que saiba liderar, gerenciar, planejar e validar ações completas.


Os Gestores de Projetos podem ter que atuar em duas pontas, muitas vezes fazendo a interlocução entre cliente e serviço, nessa hora, saber falar de forma acessível e navegar entre as informações técnicas e as explicações pontuais da atividade, exige atenção.


Geralmente Gestores de Projetos de Design Intrucional, que possuem competências nas 3 frentes principais dessa oferta de serviços, ganham destaque e crescem rapidamente na empresa, essas frentes são: Produção Estratégica, Ação Comercial e Solução Educacional.


Sendo assim, é importante ter em mente que para gerenciar produções não basta compreender os processos de Design Instrucional, é preciso ter perfil empreendedor e visão de negócio, para poder orientar clientes externos e internos rumo ao desenvolvimento.


Geralmente estes cargos são ocupados por profissionais mais experientes, que já têm história em lidar com pessoas e equipes e sabem analisar as práticas produtivas com olhar de custo e benefício.


Agora que você já conheceu algumas das áreas de segmentação do Design Instrucional, saberia dizer qual delas mais se encaixa nas suas competências e profissionais? E que tal pesquisar um pouco mais sobre sua área e criar um plano de carreira de sucesso?



 

Carolina Savioli

MSc Tecnologias e Inovação Educacional

Empreendedora Educacional

Designer Instrucional Master

Consultora em Design Instrucional Unesco

268 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page