Buscar

Quem é o coordenador de cursos de graduação?

Um dos cargos mais importantes na estrutura de uma instituição de ensino superior, a coordenação de curso, vem, ao longo dos anos, agregando mais funções ao seu papel.

Há alguns anos, o coordenador de curso tinha um papel praticamente acadêmico, de fazer o Projeto Pedagógico do Curso, cuidar da qualidade do curso, gerenciar docentes e discentes. Mas esta “simplicidade” ficou no passado.


Nos dias de hoje o coordenador possui um rol de atribuições muito mais amplo e complexo. Este profissional agora tem funções políticas, gerenciais, acadêmicas e institucionais. Estes papeis serão mais bem esclarecidos ao longo deste artigo.

O gestor de curso, nome também usado para este cargo, deve possuir formação na área de atuação do curso que irá gerenciar. Como o próprio nome do cargo diz, deve ter boas habilidades gerencias. Deve, preferencialmente, possuir contrato de tempo integral, para que realmente tenha uma relevante atuação. Deve possuir mestrado e/ou doutorado.

Comecemos a detalhar a função acadêmica, que foi a primeira a ser exercida, nesta colocação. Uma das principais tarefas nesta área é o desenvolvimento do PPC – Projeto Pedagógico do Curso. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), o PPC deve descrever a Organização Didático- Pedagógica, Corpo Docente e Tutorial e Infraestrutura do curso. Este é o primeiro documento a ser analisado em visitas de aprovação e/ou reconhecimento de curso e que norteiam o trabalho do coordenador.


O coordenador deve fazer a gestão da matriz curricular e planos de ensino, realizando estudos para a reformulação de currículo e programas dos cursos, contribuindo para sua adequação às transformações que se operam nos campos Científico, Tecnológico e Cultural. Além disto, o coordenador deve gerenciar as atividades dos docentes, instruindo e liderando sua equipe quanto ao dia-a-dia em sala de aula, qualidade das aulas, novas tecnologias, sistema de avaliação, motivação.


Com relação aos discentes, o coordenador deve conhecê-los. Não digo que deva saber o nome e sobre avida de cada um, visto que há cursos com um número significante de alunos.

Mas deve saber como, em geral, seu publico se comporta, quais são suas expectativas, quais suas necessidades, como enxergam a IES entre outros. O gestor de curso deve estar próximo aos discentes, para poder entender e analisar como está, por exemplo, a qualidade do curso. Este profissional, ainda falando da parte acadêmica, deve estar sempre atualizado das normas ditadas pelo Ministério da Educação, das novidades presentes no ato de educar, do que tem se feito em outras IES, no Brasil e mundo afora. O estudo é parte fundamental deste cargo. As funções gerencias intercalam com as acadêmicas. Na área gerencial, o coordenador deve ser responsável pela infraestrutura que utiliza. Em geral, as IES possuem um administrador de campus ou de unidade que tem entre suas tarefas, cuidar da infraestrutura. Mas o coordenador não pode deixar apenas para esta pessoa, esta responsabilidade. Ele deve estar sempre atento às necessidades de seu curso. Deve verificar periodicamente a bibliografia existe e solicitar a compra de livros, para atualizar ou complementar a mesma.


Este profissional deve realizar a proposição e gestão do orçamento do curso, desde o planejamento, desenvolvimento, controle e apresentação à direção da instituição. Deve verificar a frequência docente, não permitido que turmas fiquem sem aulas. Deve ser responsável planejamento estratégico do curso para redução da inadimplência e custos, aumento da captação de alunos, redução da evasão. É responsável pela contração e pelo desligamento dos docentes. Já, dentro das funções políticas, entende-se que o coordenador deve ser reconhecido por seus liderados. É interessante também que ele se torne referência em sua área de atuação em sua cidade, por exemplo. Isto agrega muito à IES. O coordenador precisa estar presente em eventos de sua área e realizar o planejamento de eventos técnico-científicos promovido pelo Curso dentro da sua instituição. Precisa gerar engajamento entre discente e docentes. Por último, falaremos das funções institucionais. Nesta seara, o coordenador será tido como o grande responsável pelo sucesso do aluno no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE). A preparação para o ENADE depende de toda uma equipe, mas o coordenador é quem a lidera.

Deve ser responsável pelo acompanhamento dos egressos, entender como os alunos já formado estão e fazer com que eles sempre estejam participando da vida acadêmica. A inserção das empresas no ambiente educacional é uma das funções institucionais do coordenador. Fazer o elo escola – empresa é de extrema importância. Além de todas estas atividades apresentadas, é fundamental que o coordenador lecione no curso que administra. Sou favorável de lecionar poucas disciplinas, uma vez que as tarefas burocráticas tomam demasiado tempo. Ao final deste texto o leitor deve estar achando que para assumir o cargo de coordenação de curso no ensino superior é necessário ser um Super-Homem ou Mulher-Maravilha. De fato, as atribuições são muitas e complexas, havendo uma grande interdisciplinaridade de tarefas. Mas os coordenadores não são super-heróis. Para ter sucesso nesta profissão é necessário que seja um estudante permanente, que acredite que a educação é realmente capaz de transformar a vida das pessoas, que tenha uma ótima equipe, na qual confie e que saiba delegar tarefas. Tem que ser apaixonado pela educação!




Juliana Guede Arvelos Barbosa

Engenheira, docente do ensino superior e consultora educacional.

https://www.linkedin.com/in/juliana-barbosa-8492b9146/














Referências

 Funções do Coordenador de Curso: Como ―Construir o Coordenador Ideal. Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior

 INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO Presencial e a Distância – INEP – 2017


0 visualização